segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Ainda entrando em órbita

Então por fim, retorno vivo de uma viagem hiperespacial até o outro lado da galáxia. Durante a aventura, estive por momentos nadando em mares de stress e me encolhendo em cavernas de desespero, mas o saldo final foi, afinal, positivo.
As coisas vão se acumulando, os problemas menores se aglutinam em problemas razoavelmente substanciais e no fim acaba que eu não posso olhar pra lado nenhum sem que seja assaltado pelo remorso de estar fazendo qualquer outra coisa que não os trabalhos da aula.
O mais estressante dos trabalhos foi ainda aquele da rampa (nem sei se cheguei a falar dele pra vocês). Consistia em medir o tempo que uma bolinha leva para percorrer uma rampa, através da utilização de sensores óticos instalados nas laterais da rampa. Não que isso seja interessante pra vocês, mas talvez ficassem curiosos se eu não citasse a natureza do trabalho.
Era tão estressante que houve até quem desmaiasse durante a aula. Isso prova, também, que eu não sou o único exagerado com complexo de Hermione que se preocupa demasiadamente com os resultados em geral, sendo um deles as notas da escola (e a nota de Física dependia em parte desse trabalho estressante). O vivente não estava pálido, ele estava praticamente translúcido. Isso não nos impressionou, por que ele não era dos mais queridos pela turma, então pouco estávamos nos lixando se ele estava bem de saúde. Porém, quando ele desmaiou, querido ou não pela turma todos nós nos apavoramos, claro. Um grupo de mongolões foi correndo avisar o SAE (Serviço de Acompanhamento Escolar), tal grupo sendo formado em parte pelos que realmente estavam preocupados com o colega moribundo e em parte pelos que simplesmente estavam a fim de matar um pouco de aula indo dar bandinha pelo corredor.
Mas voltando ao desmaio do coitado, bem, não teria como não notar. As humildes medidas da criatura ficam ao redor de 3m x 2m, e no processo de ir caindo ele foi levando junto consigo as classes que por ventura estavam no seu caminho. Estendido ele cobria um terço da área da sala, e isso já é de se notar, fora a atmosfera de destruição que estava circulando ali nas classes e cadeiras reviradas.
Mas ele agora passa bem, e, já fora de perigo, muitos colegas afirmaram veementemente que ele desmaiou por causa do próprio cheiro.
O trabalho esse então, como eu disse, não estava afetando somente a mim. A maior parte das pessoas da sala estava ou revisando o que ia falar durante a apresentação ou simplesmente botando pilha nos demais. E isso ajuda bastante a deixar ainda mais nervoso quem está nervoso. Mas tudo correu bem durante a apresentação (fora a vontade quase irresistível de ser solidário com o colega protagonista da história contada anteriormente e desmaiar também, de modo igualmente cinematográfico). Eu, na minha modesta opinião, acho que o trabalho do meu grupo ficou bem bom, e vai haver professora de física testando a aceleração da gravidade na prática, se atirando (ou senso atirada) da janela, caso a nota do trabalho não seja razoável. Hehehe, quem vê até pensa que a professora é uma monstra. Alguns dos meus colegas podem até achar isso, mas a minha opinião é das mais contrárias possíveis. Afirmo sem demagogia que adoro meus professores, e alguns dentre eles, inclusive essa professora de física, estão na minha listinha de melhores professores ever e de “gente fina pra caramba”.

Bem gente, me sinto um pseudo escritor de novo.

Um grande abraço a todos!

PS: é bom vocês irem se preparando para o post do WeraFlera. Não vou explicar agora, em um post scriptum, até por que o weraflera merece um post só pra ele/ela. Mas por enquanto fiquem com a comunidade no Orkut do Weraflera:
http://www.orkut.com.br/Community.aspx?cmm=64639065
E, a propósito, não esperem por muito não. É até bom vocês esperarem uma grande porcaria, por que daí independente de como ficar vocês vão achar que excedeu as expectativas e então todo mundo vai dormir feliz!

5 comentários:

Frodo disse...

Rá, rá, rá!... Sabe que tens razão?... Mas no Orkut tem umas fotos onde eu pareço mais comigo mesmo. Bom, nem tão engraçadas quanto as do Antônio, mas... Tem a do Mini-gol que eu tirei na Bienal do livro, e também a do homem mais baixo do mundo...
A pŕoósito, saudações tricolores, nosso Grêmio está arrebentando. Como o Flu não tem mais a menor chance, sou Grêmio desde menino...
Grd abraço!

candy disse...

Perfeitino, não li seu texto não. Só vim aqui pra dizer que vc resumiu todo o meu sentimento no seu último comentário.
Demorou a aparecer, mas qnd apareceu disse tudo!

'dispois' eu volto pra ler direitinho
^^

beijããoooo

JADER disse...

Carinha, vai estudar Mecânica Quântica, Teoria Eletromagnética e Física Nuclear pra ver como é barbada... infelizmente tenho quase certeza que não terás profes que tu incluiria na lista best teachers ever... (aliás, best professors ever, porque é nível acadêmico...)

E estarei na Mostratec 2008 como avaliador de novo... 30/10, quinta-feira, juntamente como alguns colegas profes e umas turmas de alunos, incluindo surdos.

Abraço!

Kari disse...

"Bah" guri, como eu tava com saudade de vir aqui e com mais saudade ainda de te receber no meu canto... Ah que coisa boa foi ler teu comentário...

Ah! E, não esqueçe de dizer se a nota foi boa em... Quanto aos professores, faculdade é engraçado, pois em seis meses muda tudo, num dá nem tempo de "conhecer bem", só aquela superficialidade. Desse semestre. só tem uma que eu não gosto muito, mas, gostando ou não, tem que conviver, né? Esse é o lado bom dos seis meses mudar...

Ah! E confesso que achei sim interessante o trabalho... Acho física interessante quando já me contam o resultado, não quando eu tenho que descobrir :$ jheheheheh

Um beijão pra tu

M@rcOs Alex disse...

Tah louco, tchê! Com tudo isso, dá até pra ficar louco, mas como já somos, tiramos de letra hehehe.
Parabéns pelo trabalho.
Abraço.